Estudantes em Ação

UM CAFÉ PELO BEM DO MUNDO
01 de Outubro de 2012
Maithan Mayer
Diretor Regional Centro
"A Arquitetura é para emocionar", já dizia Le Corbusier. E o que há nessa profissão, ou melhor, nesse estilo de vida, que é capaz de despertar as diversas emoções humanas que por fim geram um produto volumétrico final, consequência de uma intensa interação social, um gostoso estímulo artístico, boa relação psicológica, uma fabulosa consideração à natureza, um bom repertório de viagens, o respeito à diversidade, unidas à disposição, criatividade, satisfação e o principal: uma grande carga horária de troca de idéias. Sim, uma boa arquitetura é determinada por um estilo de vida de boas músicas, bons livros, boas viagens e bons relacionamentos. "Arquitetura é repertório"_Frase que o estudante Fellipe Lima honra e leva como objetivo na conquista de maior bagagem arquitetônica, somado à necessidade de fazer com que a população conheça o Arquiteto e passe a contar com ele na busca de maior qualidade de vida, saúde, bem-estar e segurança. E foi pensando nisso que o estudante do 4º ano de Arquitetura e Urbanismo da UNIDERP de Campo Grande (MS) criou o projeto "HablaCafé", que visa praticar na sociedade a atribuição principal do arquiteto e urbanista: ajudar o próximo. O convite à um desconhecido para um Café e bom papo, que deixe o sujeito à vontade para falar de si e seus costumes, e proporcione um maior conhecimento sobre a profissão, de forma interativa, que no fim proponha uma solução para algum problema na moradia do novo amigo, seja em forma de sugestão, indicações e, claro, projeto, por que não?
 
 
Fellipe Lima nos conta um pouco sobre o "HablaCafé" e como garante que a ação pode valorizar a profissão e melhorar a vida das pessoas:
"O projeto Hablacafé já vinha sendo pensado desde 2010, quando passei um tempo em países que são referências na arquitetura. Fiz uma ampla pesquisa sobre a arquitetura européia e como as pessoas usufruem delas. Tive a oportunidade de apresentar na Semana da Arquitetura de 2010, realizada em Campo Grande. A partir daí, a idéia cresceu, foi reformulada várias vezes, já teve vários nomes. Em 2011, percorri a América do Sul em busca de diferentes alternativas para a arquitetura. Quando me deparei com a falta de planejamento urbano e arquitetônico de muitos lugares, pessoas que não possuem e nunca tiveram acesso à arquitetura, qualidade de vida nos ambientes e todos os benefícios que a arquitetura traz às pessoas."
 
Fellipe garante que esse problema ocorre tanto em países desenvolvidos quanto subdesenvolvidos, e diz que o conceito que mais encontrou sobre a arquitetura foi o de ser algo acessível apenas para classes sociais mais favorecidas. Isso instigou o estudante a pensar mais sobre o sentido da profissão. Para quem é o projeto de Arquitetura? "Pensando em uma arquitetura mais social e voltada para todas as classes, surgiu o resultado e o objetivo principal do Hablacafé."
 
 
Subpáginas (1): Bosque da Paz
Comments